Ao longo de décadas é comum ler e ouvir falar dos 1284 golos de Pelé, mas na verdade mais de metade dos golos atribuídos à maior lenda do futebol, ou foram marcados em jogos amigáveis ou em torneios inferiores em termos de dificuldade e importância.

Total de Golos

O número é real! No entanto o marketing que envolve a marca Pelé é tão forte, que raramente existem referências aos 1468 golos de Josef Bican e aos 1461 de Gerd Muller. Por vezes é referida a marca de 1329 golos de Arthur Friedenreich, mas o que retemos destes números, é que ninguém pode ser “Rei dos Golos” apenas no 4º lugar do ranking.

Josef Bican (Austria/Checoslováquia, jogou de 1931-56) – 1468 Golos
Gerhard Muller (Alemanha, jogou de 1962-83) – 1461 Golos
Arthur Friedenreich (Brasil, jogou de 1909-35) – 1329 Golos
Edson Nascimento “Pelé” (Brasil, jogou de 1956-77) – 1284 Golos

Golos Oficiais

Sim, é verdade, o Bican no total tem mais golos! Então e em jogos oficiais? Subtraindo os jogos amigáveis de todos os jogadores, chegamos ao número de jogos e golos considerados oficiais. Ainda assim, destes oficiais fazem parte jogos em campeonatos regionais, reservas, divisões e torneios inferiores. Não obstante, quando confrontados com o ranking anterior, existe uma fação de especialistas que diz que os oficiais é que contam. Mas a verdade é que nem assim o homem é “Rei dos Golos”.

Josef Bican (Austria/Checoslováquia, jogou de 1931-56) – 805 Golos Oficiais | 663 Golos em Amigáveis
Romário de Souza Faria (Brasil, jogou de 1985-2007) – 772 Golos Oficias | 196 Golos em Amigáveis
Edson Nascimento “Pelé” (Brasil, jogou de 1956-77) – 757 Golos Oficiais | 527 Golos em Amigáveis

Golos em Primeiras Divisões

Mas o que realmente interessa são os golos obtidos em campeonatos da primeira divisão. E é aqui que entra a FIFA e o Dr.Alfredo Poge da IFFHS, grande amigo do senhor Blatter. Pelé começou sua carreira em 1956 e terminou em 1977, no entanto o Campeonato Brasileiro Futebol só teve início em 1971. Ora o senhor Poge, patrocinado pela FIFA, decidiu que os Campeonatos Estaduais (só equipas de um estado) são equivalentes ao Campeonato Brasileiro (as melhores equipas do país) e contabilizou os golos de Pelé nos estaduais como golos em Primeiras Divisões.

No entanto em 2010 a CBF decidiu equiparar a Taça do Brasil (de 1959 a 1966) e o Torneio Roberto Pedrosa (de 1967 a 1970) como Campeonato Brasileiro, uma vez que eram provas disputadas por clubes a nível nacional e não apenas de uma região do Brasil como os Estaduais. Parece correto e assim já podemos contabilizar os golos de Pelé na Primeira Divisão do Brasil de 1959 a 74 e dos EUA onde jogou ao serviço do Cosmos de NY de 1975 a 77.

Josef Bican (Austria/Checoslováquia, jogou de 1931-56) – 518 Golos em Primeiras Divisões
Ferenc Puskás (Hungria/Espanha, jogou de 1943-66) – 511 Golos em Primeiras Divisões
… e mais de 300 jogadores depois…
Edson Nascimento “Pelé” (Brasil, jogou de 1956-77) – 138 Golos em Primeiras Divisões

Golos em Selecções Nacionais

Bom, certamente ao ganhar 3 campeonatos mundiais Pelé é o maior marcador em jogos por seleções nacionais, neste caso pela seleção Brasileira. Aqui fica o ranking e a média de jogos/golos, para o caso de existirem especialistas que questionem do número de golos vs jogos.

Ali Daei (Irão, jogou de 1994-07) – 149 Jogos, 109 Golos | média 0.73
Ferenc Puskás (Hungria/Espanha, jogou de 1943-66) – 85 Jogos, 84 Golos | média 0.99
Kunishige Kamamoto (Japão, jogou de 1967-84) – 84 Jogos, 80 Golos | média 0.95
Edson Nascimento “Pelé” (Brasil, jogou de 1956-77) – 92 Jogos, 77 Golos | média 0.84

Afinal 757 ou apenas 290 Golos

Na verdade, foi no Estadual de São Paulo (prova só com equipas do estado de São Paulo) que Pelé se destacou em termos de golos ao faturar por 467 vezes. Assim em jogos de Primeira Divisões (138G), em jogos da Seleção (77G), em jogos da Libertadores e provas Continentais (26G) e em jogos da prova Rio-São Paulo que é equivalente a uma taça nacional (49G). Ou seja, um total 290 golos. Mas claro que se considerarmos os 467 golos do Estadual Paulista, o resultado aumenta para 757.

Na Europa existiram provas equivalentes ao Estadual Brasileiro (regionais e distritais), sensivelmente até às décadas de 50 e 60, mas para o jogador Europeu estes não contam como golos em Primeiras Divisões. Fica no entanto visível que o marketing em torno de Pelé tem as suas falhas e a contabilização destes golos fica à consideração de cada um. Uma coisa fica demonstrada, Pelé não foi o melhor de sempre e a dúvida irá permanecer. Afinal Pelé marcou 757 ou apenas 290 golos ao mais alto nível?

 

ADENDA em 18/12/2017

Foram vários os comentários dos nossos leitores que referem a importância dos Estaduais de São Paulo. Não foi intenção do autor colocar em causa a importância da prova, nem dos clubes que nela participam, mas sim questionar a importância de alguns clubes a quem Pelé marcou golos.

Desta forma aqui ficam mais alguns dados:

Dos 467 golos marcados por Pelé nos Estaduais de São Paulo, 210 golos (45%) foram marcados a 14 equipas; 4 delas que só por uma ocasião participaram no primeiro escalão do futebol Brasileiro e as restantes 10 que nunca participaram no primeiro escalão do futebol Brasileiro, nos últimos quase 60 anos. Isto inclui  Taça Brasil (1959-1968), Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967-1970) e o atual torneio de 1971 até hoje.

 

50.119 / Por
  • Rodrigo

    A tese apontada é interessante, entretanto, a desconsideração que fazem dos campeonatos estaduais é infundada e deixa claro um certo desconhecimento histórico do nosso futebol.
    Hoje em dia é cediço que os campeonatos estaduais não possuem quase nenhuma importância, entretanto, o futebol brasileiro foi construído tendo como alicerce os campeonatos estaduais, que durante os primeiros 70 anos de história do futebol em nosso país foram os principais campeonatos que os clubes podiam disputar.
    Em outras palavras, contabilizar os gols de Pelé excluindo os gols feitos no Campeonato Paulista é o mesmo que simplesmente apagar a história dos primeiros 70 anos do futebol brasileiro, o que, convenhamos, não faz nenhum sentido.
    Vale lembrar que o Brasil é um país imenso, maior que toda a Europa, e que Estados brasileiros são, normalmente, maiores em território que boa parte dos países europeus, fato que explica a dificuldade que havia para se criar um campeonato nacional como é o atual campeonato brasileiro.

    • Ora, se o Estado de São Paulo tem vários times campeões da Libertadores e/ou do Mundo: Sâo Paulo, Santos, Corínthians, PAlmeiras; e campeões e vice brasileiros e da Copa do Brasil, acrescente-se aí o São Caetano, Guarani, Bragantino, PAulista de Jundiaí, e uma dezena de outros clubes médios, mas que são muito maiores que certos clubes portugueses, podemos considerar que Pelé teve até mais dificuldades que os atacantes que disputavam os campeonatos da Espanha, de Portugal, da Hungria e de tantos outros que só têm entre dois ou três times que disputam o título a cada ano. Discordo completamente da tese do autor do texto.

    • Cláudio César Rodrigues

      O campeonato Paulista era tão importante que na Taça Rio de 1951 os campeões de Rio de Janeiro e São Paulo disputaram contra campeões nacionais europeus e sul americanos! E o Palmeiras campeão Paulista foi campeão da Taça Rio!

  • Jorge

    Quanta bobagem dessa “pesquisa”! Quer dizer que o campeonato paulista, que reunia 5 ou 6 equipes de alto nível , não seria comparado ao grande campeonato austríaco ( e a Áustria é do tamanho de um estado médio do Brasil). Sem falar nos torneios Rio-São Paulo ( Santos e Botafogo eram metade das seleções 3 vezes campeã), e por aí vai. O que mais se vê é alguém tentando tirar os méritos do maior jogador de todos os tempos. E isso vai continuar por mais 100, 200 anos, ainda…

  • carlos g.

    mas qual maior Jorge?

    o maior goleador brasileiro chama-se Romário.

    é um facto. qual a dificuldade em avaliar os números?

    ridículo contabilizarem-se golos em amigáveis, mas isto cabe na cabeça de alguém?

    são 700 e tal golos e que maravilha. excelente.

  • As ligas regionais da Alemanha pré-Bundesliga não são equivalentes aos estaduais do Brasil? Os gols do Uwe Seeler na Oberliga Nord não são contabilizados?

    • Miguel Lourenço Pereira

      Causlos,

      A principal diferença entre os golos de Pelé e Seeler partem da natureza de organização das competições. As ligas regionais pré-Bundesliga terminavam no apuramento de equipas para disputar as eliminatórias do título nacional de campeão, portanto os seus golos são sempre considerados como golos num torneio nacional. Na época de Pelé, até à formalização definitiva de um campeonato no Brasil, os resultados nas Estaduais e da Copa do Brasil eram contabilizados de forma distinta. Pelé foi o melhor marcador em duas ocasiões na Copa do Brasil mas não foram contados os golos que tinha marcado no estadual de São Paulo por ser considerada outra competição. Portanto, a nível estatístico, enquanto os jogadores alemães, até 1963, marcavam sempre golos num torneio nacional, ainda que dividido por regiões, no Brasil apontavam golos em provas locais, estaduais e nacionais de caracter distinto.

      um abraço

  • Pedro Justo

    Todo trabalho de pesquisa tem algum mérito e não se pode tirar o deste. Mas a tese é infundada pelo fato de o autor não conhecer a importância dos estaduais disputados no Brasil e tampouco a importância dos jogos “amistosos”, que eram encarados como autênticos desafios, às vezes intercontinentais. O Real Madrid passou décadas evitando jogar com o Santos, mesmo em “amistosos”, pois sabia que sofrer uma goleada para o time brasileiro significaria perder muito do seu prestígio internacional.

    • Julianji Matti

      De onde você tirou essa história de que o Real Madrid evitou o Santos? Por favor…isso é tudo lenda. Mitologia barata da imprensa ufanista brasileira. O Santos de Pelé ganhou apenas duas Libertadores. Na mesma época (anos 60), Estudiantes e Penãrol ganharam 3 vezes cada e o Independiente ganhou 2. Se o Santos fosse assim tão monstruoso e superior a tudo, seria de se esperar que ganhasse bem mais edições da Libertadores.

      • tigre

        Em uma época que as cifras do futebol profissional, em especial no Brasil e na América do Sul,eram ridículas em comparação aos dias de hoje, e o jogador não ficava rico, o Santos foi bicampeão da libertadores e Mundial,em 62 e 63.E os principais jogadores foram campeões da mundo em 58 e/ou 62, ganhando todos os títulos possíveis e almejados por um jogador.Posteriormente, passou a ignorar a Libertadores, como aconteceu em 64, quando jogou com o time reserva(se tiver dúvidas, é só pesquisar ae que tu vai encontrar) e passou a ser uma espécie de equipe espetáculo ao redor do mundo, fazendo muitas e muitas excursões e torneios pelo mundo, principalmente na Europa, para ganhar dinheiro, durante todo o resto da década de 60(o que gerou efeitos tanto seu desempenho em todas as competições, já que era a equipe mais viajava no Brasil, na América do Sul, e muito provavelmente no Mundo) .Então depois de 63, o Santos ao invés de jogar Libertadores e cair na porrada com Argentinos e Uruguaios, em um tempo que eram extremamente violentos, especialmente jogando em casa, onde faziam uma verdadeira guerra (inclusive uma das causas para a desvalorização do Mundial de Clubes pelos Europeus, ) foi ganhar dinheiro ao redor do mundo, por isso a quantidade tão grande de gols de Pelé em jogos não oficiais.Times brasileiros não participaram das libertadores de 66, e o Santos, campeão brasileiro de 65, tinha direito a participar da Libertadores de 66,mas não jogou.Os times brasileiros também não jogaram na Libertadores de 68 . O Santos também tinha direito a participar da Libertadores de 67 e preferiu não ir.Ou seja, jogou em 64 com o time reserva, e não jogou em 66 e 67, de modo que abriu espaço para outros grandes times fazerem hegemonias para ganhar dinheiro pelo mundo, em uma época que a Libertadores não tem o prestígio dos dias de hoje.Nos dias de hoje(e há bastante tempo já), com Neymar ganhando 1,5 milhão e meio jogando no Brasil em 2011,e todos os outros jogadores titulares de um clube grande recebendo salários altíssimos, na Europa nem se fala, pensar que um clube dispensaria competições oficiais pra jogar torneios e taças ao redor do mundo parece um absurdo, agora na época de Pelé, jogadores campeões de tudo pelo Santos(bicampeões da libertadores e de interclubes, campeões mundias pela seleção, e de tudo em campeonatos nacionais)foram ”fazer o seu pé de meia” pelo mundo, e por isso dispensaram mais de uma Libertadores e faziam torneios e amistosos internacionais no meio da temporada.

  • Varela

    Boa a pesquisa e as ressalvas.
    Mas também acho que se deveria considerar os gols de Pelé, nos regionais, como gols em liga de primeira divisão.
    Por três razões:
    1- Nos clubes do Rio de Janeiro e de São Paulo, jogavam, no mínimo, 80% dos atletas da seleção brasileira, na época de Pelé (Regionais entre 57 e 73). Considerando que o Brasil ganhou o mundial 3 vezes no período, pode-se dizer que estes regionais eram, então, competições mais fortes que a maioria das ligas europeias.
    2- Reduzir-se o número de jogos oficiais de Pelé a cerca de 10 jogos por ano é o mesmo que deixar de considerá-lo na base de dados. No entanto, dada a importância do jogador para a história do futebol, não sei se de tal base comparativa (sem Pelé) resultaria um resultado interessante.
    3- Assim como na Alemanha, os Campeonatos Regionais eram classificatórios para a Copa do Brasil (competição eliminatória de poucos jogos). Daí, tratar a liga alemã (e outras ligas europeias antigas) de forma diferente, com base em questões “organizacionais” ou no argumento da “autonomia da competição”, é estatisticamente arbitrário.
    De qualquer forma, fiquei impressionado com os dados de Romário e Muller.

  • Helio Rodrigues

    Amigos brasileiros sendo Português vou ajudar a explicar, a pesquisa está mais que correcta! O golos de pele são 290. O pele nem perto está de messi e de Cristano Ronaldo. A verdade é que contagem dos Golos está muito mal feita… Ao longo de décadas é comum ler e ouvir falar dos 1284 golos de Pelé, mas na verdade, mais de metade dos golos atribuídos a umas das maiores lendas do futebol, foram marcados em jogos amigáveis ou em torneios inferiores em termos de dificuldade e importância. Para a FIFA, UEFA e IFFHS o que conta são os golos marcados em primeiras divisões e competições de nível de dificuldade equivalente como as liga dos campeões, taça UEFA, Libertadores, Mundiais(Copas). O campeonato estadual do Brasil é comparável a uma terceira divisão de qualquer país europeu onde joga as equipas de um determinada região(estado) desse mesmo país. Ou seja tecnicamente não podem ser contados 467 golos de péle dos 757 golos oficiais de pele… Vou dar o exemplo em portugal os campeonato estadual é na 2 divisao B! Ou seja temos 1 Divisao, 2 divisão de Honra e depois as Divisões B(campeonatos estaduais), já a espanha, frança, Reino unido, alemanha, italia, e por ai diante é quase a mesma coisa. Comparar um campeonato estadual a 1 primeira divisao onde jogam as melhor equipas do país nem faz sentido nenhum. Na verdade o vosso melhor goleador foi Romario e nao pelé. O Pele tem muita mentira e markting a volta dele, e mesmo se os golos contassem todos ele mesmo assim nao é o que marcou mais, na verdade existem varios jogadores que marcaram mais golos que pele…

    • Dener

      Se na europa não se dá uma grande importância ao campeonato estadual, que culpa nós temos? Ou que culpa o Pelé tem? Até hoje a maior rivalidade é dentro do estado, pouco importa se um time de São Paulo ganha de um time do Rio…Estaduais não acabaram por ter uma paixão pela rivalidade a nível estadual.

    • Brazilnut300

      Eu nunca ouvi dizer que se dizia que Pelé marcou mais gols do que qualquer outro jogador do mundo. Os gols que ele marcou são verdadeiros. Agora, tentar desclassificá-lo como um jogador que só marca contra a 3a divisão (eleito por portugueses!!!!!), isso é piada. Qual é a importância de Portugal no futebol mundial? Quantas copas Portugal ganhou? E depois, é conhecida a “bronca” que os portugueses têm contra os brasileiros por causa do futebol superior do Brasil comparado aos nossos patrícios. Essa bronca já vem desde a colonização do Brasil. Sinto muito, se Eusébio não foi longevo o suficiente para poder ser comparado ao Pelé, vocês vão ter que engolir essa. CR7 é um jogador muito bom e muito esforçado, mas, ele não é gênio. E se vocês não são capazes de enxergar essa diferença, seria perda de tempo discutirmos aqui.
      O próprio Romário fez mais de 1000 gols, mas jamais ele poderia ser comparado ao Pelé. O Romário não tinha as habilidades de Pelé. Aliás, nem o CR7 tem. Isso é fácil ver. O time joga em função do gajo. Já o Pelé além de armador era ainda centro avante e atacante. Ele criava as jogadas, e é claro que ele também recebia passes de seus companheiros, mas muitos desses passes eram decorrentes de jogadas criadas por ele mesmo. Messi é ainda o melhor jogador da atualidade, mas mesmo Messi tem um time armando as jogadas para que ele, Messi, as finalize. Vejam videos de Pelé no youtube, e verão que ele era um jogador mais completo do que Messi e CR7. Claro, gostar ou não do jogador já é outra história, mas tentar diminuí-lo de sua genialidade é mostrar falta de conhecimento. O comentarista aqui já teria visto Pelé jogar no Santos, no auge de sua juventude? Provavelmente não! Nem CR7 ou Messi jogam bem assim desde sua intermediária até o gol adversário. Sim, o futebol hoje é diferente e favorece muito os “craques” modernos.

  • walter falceta

    É absolutamente ridículo que o comentarista compare o campeonato estadual paulista à terceira divisão de qualquer país europeu. Somente a ignorância explica. Os times de São Paulo ganharam, juntos, 39 títulos nacionais, 8 Libertadores, 3 Mundiais da FIFA, 4 Intercontinentais, entre outros títulos. Que terceira divisão europeia tem esse currículo? Aliás, a primeira divisão portuguesa fica longe, muito longe, dos paulistas em conquistas de relevo.

    • Rui Borges

      Amigo Walter Falceta, quanto a títulos Europeus conquistados por clubes da 1ª divisão Portuguesa são 4 Champions League, 2 Ligas Uefa, 1 Taça das Taças, 1 Supertaça Europeias. Seriam mais se nas provas Europeias os nossos adversários não fossem Real Madrid, Barcelona, Manchester United, Liverpool, Arsenal, Chelsea, Bayern Munique, B.Dortmund, Juventus, Milan, Inter, Paris SG, etc…etc… etc… E por aí, os clubes Brasileiros na Libertadores jogam contra quem? Os campeões da Bolívia, Equador, Chile, Peru, Paraguai, e Venezuela?

      Outra questão, quantos golos marcou Pelé na Libertadores….14 né? Aliás dizem que o golo mais bonito de Pelé foi no Paulistão de 59 contra o Clube Atlético Juventus… essa grande equipa da 3ª divisão Brasileira que joga no Estadual de São Paulo.

      Pelé tem valor, mas não tanto. Romário foi melhor!

      • na altura os campeonatos estaduias brasileiros eram fortes sim nao ha duvidas! os jogadores desses campeonatos jogavam na seleção brasileira campea do mundo ate a altura 3 vezes!! a tese geografica tambem é valida há paises na europa mais pequenos que estados ou até “cidades” brasieliras… por exemplo no paulistao tens meia duzia de equipas quer foram camepas braisleiras e da libertadores….. se na altura nao havia brasileirao entao, como disseram anteriormente estamos a apagar 70 anos de futebol brasileiro não faz nenhum sentido isso!! claro que faz pelo facto de não ser velha EUROPA, nada contra… nada contra em relaçao a portugal posso te dizer que tirando o benfica e mais 2 , que nao tinham tinham dificuldades em ganhar campeonatos e ate a nivel europeu la conseguiram mas e a competividade nos campeonatos nacionais?? campeonatos jogados a 2 ou 3 equipas isso é didficuldade? agr experimente meter um benfica, ou mesmo um arça ou real num campeonato paulistano ou carioca achas que vao ser campeos com 20 pontos de avanco?

      • Ariel Paulo Krivochein

        Amigo Rui Borges:
        1. Desses 4 portugueses campeóes de CL, o + poderoso de todos: o Benfica de Eusébio, Coluna, Águas, Matateu & Costa Pereira, foi DESTROÇADO na final da Copa Intercontimental de 63 pelo Santos de Pelé por 5 x 2 – em plena Lisboa!…
        Até bola entre as pernas o ‘gajo’ (Eusébio) levou do Rei. E olhe q para chegar lá o Benfica tinha deixado pra trás na CL o maior Real Madrid de todos os tempos: o de Di Stéfano & Puskas, O q PROVA que a Libertadores & os Paulistas ñ eram de tão baixo nível assim, ñ acha? tsk tsk…
        2. Ligas Uefa, Taças das Taças, Supertaças Européias, Taças Cidades das Feiras & o q o valha HÁ MUITO deixaram de ser ‘super’ qualquer coisa & são torneios inferiores ou de consolação no continente europeu.
        3. Qdo o Santos jogou a Libertadores vc ‘esqueceu’ de dizer q ele enfrentou TAMBÉM os campeões da Argentina & Uruguai. Países q junto com o Brasil ganharam ttos Mundiais qto Alemanha, Itália & Inglaterra juntos (ou seja, 9).
        4. Pelé só ñ marcou mto + gols na Libertadores devido ao descarado protecionismo q a Confederação Sul-Americana (despoticamente gerida por Argentina & Uruguai) dava aos clubes hispano-americanos. O q fez com q o Santos abandonasse de vez o certame & preferisse ir destroçar a peso de ouro precisamente as mesmas ‘fabulosas’ equipes européias (incluindo Porto & Benfica) q vc citou aí encima em suas históricas excursões anuais à Europa.
        5. O Juventus HOJE é da 3ª divisão mas na época de Pelé era da 1ª (tendo inclusive sido berço de grandes jogadores q + tarde seriam da seleção).
        Então evite falar sobre o q ñ sabe (ou ‘ñ se lembra’), ok?. Bom dia.

      • Brazilnut300

        Romário? Ah, não, piada não!

      • jorge santos

        E teve aquele, em uma final de Mundial interclubes, em que o Rei Pelé saiu driblando todo o mundo, desde o meio campo, fazendo um golaço, contra o “timinho” do Benfica de Euzébio, lembra? Mas só tinha cara fraco no time português…

  • Prezados, sou brasileiro, paulista e CORINTHIANO, portanto rival do Santos de Pelé, não na mesma intensidade da rivalidade que nutrimos com Palmeiras ou São Paulo, mas queria fazer uma observação que acho pertinente e que enriquecerá a visão de vocês sobre o que o Estadual representa no país.

    O Brasil é um país continental dividido em federações, a maioria delas maior que a maioria dos países da Europa Ocidental. Para uma comparação simples, São Paulo, a unidade federativa que abriga o Estadual conhecido como Paulistão que Pelé disputou, possui 248 222 km de área, SEIS VEZES MAIOR que os Países Baixos, e uma população de 44 milhões de habitantes, duas vezes e meia maior que o mesmo país. Comparando com a Inglaterra, a área paulista é quase DUAS vezes maior e a população é apenas 10% menor. E olha que São Paulo é a apenas a décima segunda maior unidade federativa do país – populacionalmente é a maior. São Paulo é um país, assim como qualquer unidade federativa brasileira. Pelo menos em termos de comparação com os países europeus. Certamente essa complexidade geográfica e política não cabe nestas linhas e é de difícil compreensão para nós brasileiros, imagine para os estrangeiros.

    Devido a extensão do país, o futebol surgiu em berço estadual, diferente de Portugal, França e outros países europeus é extremamente complexo levar uma equipe do Rio Grande do Sul, um importante pólo futebolista do país, para a Bahia, outro importante pólo do esporte bretão brasileiro. A distância entre Porto Alegre e Salvador, capitais destas unidades federativas, é de 3060 km!! A distância entre Lisboa e Paris é a quase a METADE disto (1700km). A distância entre Lisboa e a Cidade do Porto é quase 10 vezes menor (315km).

    Por isso em cada estado surgiu um núcleo futebolista. O Estadual, mesmo depois da criação da Taça Brasil em 1959 e do Campeonato Brasileiro em 1971, ainda foi o campeonato mais importante até a década de 1990 e apenas no ano de 2003 com a implementação do campeonato de pontos corridos é que o Brasileiro, como é conhecido o Campeonato Brasileiro, tornou-se o torneio mais importante para todos os clubes sem mais nenhuma dúvida. Em 1995, o meu clube, o Corinthians, foi campeão do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil. A torcida comemorou muito mais o primeiro: pois vencemos nosso maior rival, o Palmeiras, e o superamos e nos isolamos como maior campeão do Estado. Ser o maior campeão do Estado era mais importante do que vencer o segundo título nacional mais importante.

    Até hoje ainda há correntes de torcedores (que vocês chamam de adeptos), nas quais eu me incluo, que consideram que o Estadual deveria voltar a ter importância que teve, pois é o verdadeiro berço do futebol brasileiro.

    Portanto, é fato que Pelé não tem a quantidade de gols oficiais que possui entre os não-oficiais, mas desvalorizar os gols que ele fez pelo Estadual de São Paulo, o Paulistão, é desconhecer a essência do futebol brasileiro. Espero que tenha ajudado, abraços!

    • jorge santos

      Isso sem contar o Rio de Janeiro, um estado bem menor do que São Paulo, mas com quatro clubes de penetração nacional. Só o Botafogo, por exemplo, deu mais jogadores à seleção do qualquer outro clube. Entre todos os artilheiros e grandes jogadores, o Rio deu nomes como Leônidas da Silva, Newton Santos, Garrincha, Amarildo, Didi, Gérson, Jairzinho, Carlos Alberto, Romário, Ronaldo, só pra falar dos cariocas de nascimento. O cara nunca deve ter saído de Portugal, a não ser pela internet, e quer falar do que desconhece. E o pior é que vários desavisados compram essas sandices!

  • sem tirar nem por é preciso acabar com o velho cliché que só o futebol no europa é que bom e tudo mais!!

  • Anderson Pinto

    Sobre a importância da libertadores diante dos campeonatos europeus, eu só gostaria de salientar que o continente sul-americano possui nove copas do mundo (5 Brasil, 2 Argentina, 2 Uruguai). Será que seria um campeonato tão fácil assim?

    • victor leal

      vc esta disendo que essa copa libertadores e melhor que lcu vc e doido se comparar libertadore e 3 divisao da uefa

      • Alexandre Costa

        Victor, não está sendo dito que a Libertadores é melhor, a questão é que a Libertadores é uma competição dificílima. Só entre os brasileiros classificados este ano temos mais de TRINTA TÍTULOS NACIONAIS, somando o Brasileirão e Copa do Brasil entre SETE CLUBES. Sem falar nos Argentinos, Uruguaios e Chilenos, jogar na altitude, grandes diferenças de temperatura… “facin…”

  • Estevan Ribeiro Pothin

    Pelé é uma fraude, Messi >>>>>>

    • paulo robert hungaro

      se o messi estivesse na mesma época ele não seria nem um neto hoje os caras não batem como naquele tempo e pele era bom também de cabeça o que o messi não e e matar a bola no peito igual o pele duvido então cara messi e so um bom jogador.

      • paulo carneiro

        caras voces não entende de futebol naquela epoca nao existia futebol era um bando de inocentes o melhorzinho se destacava um exemplo garrincha deixava a bola e os caras iam atraz dele aida chamão isso de futebol na epoca ninguem tinha noção

      • Alexandre Costa

        Esses leite de pera achando que hoje o futebol é mais difícil…kkk
        Não havia fisiologista, médico disso e daquilo, acompanhamento individual, muitos fumavam, a porrada comia e hoje? Maricas que ficam traumatizados com as derrotas e só estão preocupados com suas tatuagens e selfies

        • Kauan

          Né, sem falar das dificuldades: os uniformes, chuteiras, bolas pesados e sem tecnologia nenhuma, e o tamanho do campo de futebol, antigamente que era difícil jogar futebol com qualidade kkkkkk

        • jorge santos

          Perfeito! A porrada cantava, e muito! Jogo entre clubes ou seleções, muitas vezes, eram verdadeiras guerras. Hoje em dia, esses novos ricos, que ficam milionários em um ano, só querem saber de carrões, tatuagens ridículas, pintar o cabelo. Tudo isso, tratados como crianças, por babás 24 horas, comida especial, suplementos, recursos táticos modernos, condicionamento físico ultramoderno, etc. Sem falar que todos se conhecem, jogam no mesmo clube e, quando um perde, o adversário caga para a comemoração e vai “consolar a criancinha”.

    • Brazilnut300

      Seria fraude se tudo que ele fez não tivesse acontecido! Aí sim!

  • Dener

    “O maior jogador de futebol do mundo foi Di Stefano. Eu me recuso a classificar Pelé como jogador. Ele está acima de tudo. ” – Ferenc Puskas, craque da Hungria e do Real Madrid na década de 50.
    “Após o quinto gol, eu queria era aplaudi-lo”. – Sigge Parling, zagueiro sueco encarregado de marcar Pelé durante a final da Copa de 58.
    “Posso ser um novo Di Stéfano, mas não posso ser um novo Pelé. Ele é o único que ultrapassa os limites da lógica.” – Johann Cruyff.
    Gente que não entende de futebol, não compara números e sim perfeição, por isso digo, Pelé é invomparavel.

    • victor leal

      o que fez pele fikcar na historia foi os numeros

      • Ariel Paulo Krivochein

        Ñ. Foi COMO atingiu esses nºs: o QUANTO só foi consequência, 😉

      • Ariel Paulo Krivochein

        A prova é q aos 17 anos ele para o mundo JÁ era o Rei do Futebol.

    • jorge santos

      Perfeito, mas, se não me engano, a frase de Puskas foi, no final: “Pelé não conta, ele não é deste planeta”! Mas os caras de hoje em dia, jogadores de PS, atletas de Notebook e artilheiros das estatísticas, sabem mais do que os próprios contemporâneos do Rei! Durma-se com uma inveja dessas!

  • Charles

    É uma idiotice achar que o campeonato paulista, juntamente com o campeonato carioca, foi uma “competição menor”, quando na época de Pelé o melhor futebol do mundo estava no Brasil e Rio e São Paulo era a base da seleção brasileira. Havia pelo menos 8 times de altíssimo gabarito nessas duas cidades, equivalentes ao Barcelona ou Real Madrid atuais. O campeonato espanhol de hoje, isso sim, com somente dois clubes realmente de ponta é que é uma piada e onde fica muito fácil fazer hat-tricks em quase todos os jogos, pela diferença de nível de um Barcelona e um Osasuna, por exemplo. Messi é genial, mas nem uma Copa América ganhou, e isso mostra o que ele não consegue ser: do nível de Pelé ou Maradona.

  • Ariel Paulo Krivochein

    Ao autor do brilhante artigo aí acima.
    Uma seleção de 22 craques q participaram dos Paulistas dos anos 60 (ESCOLHIDOS AO ACASO PQ HÁ MTOS MAIS):

    TITULARES:
    Gilmar
    Djalma Santos, Carlos Alberto, Bellini, Oreco
    Zito, Rivellino
    Julinho Botelho, Pelé, Mazzola (Altafini), Canhoteiro

    RESERVAS:
    Manga
    De Sordi, Mauro, Orlando, Rildo
    Gérson & Dino Sani
    Dorval, Coutinho, Vavá, Pepe

    Poderíamos fazer 2 seleções tb com os jogadores do Carioca (Rio de Janeiro):

    SÓ DAREMOS OS TITULARES:
    Castilho,
    Paulo Henrique, Bellini, Orlando, Nilton Santos
    Didi & Gérson
    Garrincha, Paulo César Caju, Dida, Zagallo

    E uma infinidade de outros tto no Rio como em SP

    Nota: Só com jogadores brasileiros.

    ME DIGA EM QUE DÉCADA A CL FORNECEU TTOS GÊNIOS PARA O FUTEBOL MUNDIAL KKK

  • Ariel Paulo Krivochein

    GENTIL CHAMADA DE ORDEM AO ARTICULISTA:

    Existem vários blogs na net q claramente demonstram como dados fornecidos aí acima estão equivocados.

    Este é um deles:

    http://pelethebest.blogspot.com.br/2015/02/todos-os-gols-que-pele-marcou-pelo.html

    QUE DIZ:

    ‘Raio-x sobre os gols de Pelé, que muitos dizem que são apenas 290,
    outros dizem que os adversários eram fracos, de pouquíssimo valor
    e outros ainda disseram que a maioria deles foi marcado contra adversários compostos por velhinhas e crianças.’

    OU:

    *Como os números não mentem, a soma dos gols de Pelé vestindo a camisa do Santos FC no período de tempo que vai de setembro de 1956 até dezembro de 1962, entre os 15 e os 22 anos de idade, dá um total de “apenas”…471 GOLS 🙂
    (Se juntarmos os 40 gols que Pelé marcou jogando pela Seleção Brasileira no mesmo período de tempo, o total de gols sobe para incríveis 511 gols!!!)

    PARTE 2 (CONTINUAÇÃO):

    http://pelethebest.blogspot.com.br/2015/02/parte-2-todos-os-gols-que-pele-marcou.html

    E assim por diante 🙂

    PS: NUNCA É DEMAIS CITAR A PRÓPRIA PÁGINA DA FIFA (MAIS O-F-I-C-I-A-L Q ISSO IMPOSSÍVEL!) SOBRE OS NÚMEROS DO REI:

    http://www.fifa.com/fifa-tournaments/players-coaches/people=63869/profile.html

    QUE DIZ:

    International career
    Brazil: 1957 – 1971
    91 caps, 77 goals (Brazil’s record scorer)
    66 wins; 14 draws; 11 losses

    Honours
    1958 FIFA World Cup winner
    1962 FIFA World Cup winner
    1970 FIFA World Cup winner

    Individual
    1970 FIFA World Cup Golden Ball
    1958 FIFA World Cup Silver Ball
    Copa America top scorer: 1959

    FIFA World Cup appearances
    14 caps, 12 goals
    12 wins; 1 draw; 1 loss
    ………………………………
    <<<<>>>>
    ………………………………

    O QUE MOSTRA Q A ENTIDADE MÁXIMA DO FUTEBOL MUNDIAL J-A-M-A-I-S SEPAROU ‘GOLS FEITOS EM JOGOS OFICIAIS’ DE ‘GOLS FEITOS EM AMISTOSOS’.

    ATÉ PORQUE SE O JOGO É ‘AMIGÁVEL’ A MAIOR OFENSA Q VC FARIA A SEU ‘AMIGO’ NUM JOGO DESSE TIPO SERIA PRECISAMENTE ‘GOLS’, Ñ ACHAM? RS RS

    BRINCADEIRAS À PARTE O + IMPORTANTE JOGO DE TODOS OS TEMPOS (OPINIÃO DOS MAIORES EXPERTS DO ESPORTE) FOI UM AMISTOSO & TEVE 9 GOLS:

    HUNGRIA 6 X 3 INGLATERRA (WEMBLEY, 1953)

    https://www.youtube.com/watch?v=C15lz3U8f_s

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Match_of_the_Century

    OBS: TENHO CERTEZA DE QUE PUSKAS & TODOS OS GRANDES CRAQUES QUE ANOTARAM NESSE JOGO GUARDAM AVARAMENTE EM SEUS RECORDS OS TENTOS REGISTRADOS NO HISTÓRICO JOGO (LEMBRAR Q AINDA TEVE A REVANCHE LOGO APÓS NA HUNGRIA COM UMA NOVA HECATOMBE DE 7 X 1 PARA OS MAGIARES)

    NOTA ÚTIL:

    TANTO GOLS EM AMISTOSOS PARA A FIFA SÃO OFICIAIS Q A ELES CABE IMPORTANTE PAPEL NA CONFECÇÃO DO RANKING MUNDIAL MENSAL DA ENTIDADE (BUSQUE NO LINK ACIMA ‘RANKING DA FIFA – CRITÉRIOS’)
    ……………………………………………………………….

    PARA FECHAR O CAIXÃO DOS ‘CRÍTICOS’:

    http://pelethebest.blogspot.com.br/2014/05/o-guinnes-world-records-oficializa-os.htm

    ………………………………………………………………
    NADA COMO A MEDIA INGLESA PARA BOTAR TODOS OS PINGOS NOS I’S

    😀

  • Eduardo Costa

    É lamentável tudo o que esta escrito no texto aí em cima, os “dados” que foram utilizados, mas o que mais me impressionou foi a postura do autor.  Nem sequer os dados que foram apresentados nessa pesquisa, se é que isso pode ser chamado de pesquisa, estão corretos. Se você está lendo esse comentário, não pare, porque vou mostrar, com dados reais, que esse texto não passa de uma crítica.

    1) Vou começar falando do preconceito, da falta de interesse e da falta de conhecimento do assunto, que são extremamente notáveis. Logo no início, o autor já começa com um senso crítico muito infeliz, ridicularizando, dizendo que campeonatos “X”, “Y” e “Z” são inferiores em termos de dificuldade e importância, como se ele fosse algum tipo de “autoridade suprema” do futebol. Nem se ele fosse uma “autoridade suprema” do futebol, ele poderia dizer isso, mas isso não vem ao caso. O que vem ao caso é que ele tenta ridicularizar e desmerecer os gols que Pelé marcou, porque na cabeça dele, os gols foram marcados  em torneios inferiores em termos de dificuldade e importância.

    2) Mas logo se percebe que o preconceito não é bem com os campeonatos/torneios que Pelé marcou gols, e sim com o próprio Pelé! Fica nítido isso, quando o autor compara e exalta Josef Bican, Arthur Friendreich e Gerd Muller, jogadores que, supostamente, marcaram mais gols do que ele. Ué, se os gols que Pelé marcou foram desmericidos por causa dos campeonatos/torneios, porque esses jogadores estão tendo os seus gols contabilizados? E quais são os motivos de dar méritos aos gols deles? É aí que tá a sacanagem, Josef Bican jogou na Áustria ( um país minúsculo e sem nenhuma tradição futebolística) e Arthur Friendreich, que assim como o Pelé, jogou no Brasil, mas na época que o futebol brasileiro ainda era considerado amador. Se o parâmetro adotado pelo autor estivesse sido devidamente aplicado, esses jogadores teriam 0 de gols! Ou seja, fica nítido que o proconceito fica todo em cima do Pelé.

    3) Mas aí que vem o fim da picada, quando ele “determina” os gols que Pelé fez na primeira divisão. Irei refazer essa conta, e os dados que vou utilizar são de um site que mostra todos os gols do Pelé:

     http://futdados.com/raio-x-dos-gols-de-pele-na-carreira/
     
    Acessando esse site, voce verá que tem varios gráficos, mas utilizarei um específico, o grafico “Por Competições”, que mostra todos os gols que Pelé fez em todas as competições. Mas enfim, voltemos ao cálculo.  O cálculo dele já começa errado, quando ele não contabiliza os gols do Campeonato Paulista, que para quem não sabe, o Paulista têm a primeira e a segunda divisão. Bom, utilizando os dados do site acima, aqui ficam os gols marcados em torneios de primeira divisão: O Campeonato Paulista ( 447 gols), A Taça Brasil ( 30 gols), Torneio Roberto Gomes Pedrosa ( 49 gols ), Campeonato Brasileiro ( 33 gols) e NASL ( 39 gols). Ou seja, Pelé marcou 598 gols em torneios de primeira divisão.

     Obs 1: Os gols do Torneio Rio São Paulo não estão listados acima porque eles já estão inclusos nos do Torneio Roberto Gomes Pedrosa. Fiz isso porque ambos são o mesmo torneio. O Torneio Rio São Paulo foi até 1966, quando renomearam para Torneio Roberto Gomes Pedrosa.

    Obs 2: Alguns desses torneios estão divididos em duas partes no gráfico. Um exemplo é o Campeonato Paulista. Para determinar o número, você tem que contar de ambas as partes. Então cuidado se for contar!

    Minha conclusão: Como já havia falado antes, é lamentável o que está escrito acima e esse texto não passa de uma crítica. Esse texto não deve servir de base, mas ainda tem gente que acredita que o que está escrito é verídico. O mais impressionante é como o autor que, certamente é Português, faz uma propaganda de que o que é Europeu é superior ao que é brasileiro. E o pior, é que muitos brasileiros acessam esse site, e começam a acreditar nessa “lógica”, e ficam repetindo que os Campeonatos brasileiros, mais precisamente os tais “X”, “Y” e “Z”, são inferiores. E para terminar de ficar “bom”, o autor ainda culpa o Marketing por Pelé ser considerado o maior artilheiro da história do futebol, por não ser quem ele quer que seja. Lamentável, lamentável…

  • Isaque Rezende

    Pelé estatisticas https://www.youtube.com/watch?v=Z-bLCnRrE9w
    As estatisticas estao na descriçao

  • Brazilnut300

    Cuidado, amigo português. A inveja mata!

  • César

    Há nitidamente um desconhecimento do autor, sobre os campeonatos estaduais no Brasil. Mesmo no final da década de 70, quando já existia o campeonato brasileiro, os estaduais era o que de mais importante havia em termo de competição. O Corinthians, por exemplo, foi campeão estadual (paulista) em 1977 causando uma comoção nacional, já que não vencia o campeonato há 23 anos. 146 mil pessoas foram ao Morumbi, quebrando o recorde de público do estádio. Alguns dos maiores públicos do Maracanã se deram em campeonatos cariocas. A razão disso, é a enorme extensão do Brasil, equivalente ao tamanho da Europa ocidental.

  • Jose Carlos Fernandes Macfern

    E a cabeçada que o Gordon Banks pegou, e o drible em Mazurkievicz, e o chute do meio de campo, e os gols de bicicleta, e o chapeuzinho no primeiro gol que fez na seleção, e o passe mágico para o Carlos Alberto “capita”, no último gol da copa de 1970, e o..!.e o…..! Ah vai!!!! Pelé e o rei e acabou, ou tudo aquilo que eu vi e que nunca verei outro jogador fazer fui ilusão de ótica. Pelé não se tornou rei por estatísticas mas por sua habilidade jogando futebol, tinha força, resistência, batia com os dois pés perfeitamente, cabeceava com perfeição, batia faltas de forma primorosa e ainda comeu a Xuxa!e

  • Alexandre Costa

    Para acabar a polêmica: Irmãos portugueses, levantem CINCO TAÇAS MUNDIAIS, QUATRO COPAS DAS CONFEDERAÇÕES, tenham CINCO JOGADORES DIFERENTES levando o prêmio de melhor jogador do mundo da FIFA, tendo no total OITO Troféus em nossas terras e deixem os scouts e estatísticas frias de lado. Depois disso voltamos a conversar

    • Julianji Matti

      O que uma coisa tem a ver com a outra? Qual a necessidade desse apelo comparativo? Pois bem, eu sou brasileiro como você e tudo o que foi escrito é verdade. Nem Pelé nem Romário fizeram mil gols e se aproveitaram de campeonatos estaduais jogando contra clubes semi-profissionais ou até amadores. E acrescento mais: toda a bajulação e mitologia à volta da figura de Pelé é em parte resultado da propaganda nacionalista da ditadura militar. Vamos parar de ufanismo barato.

      • Alexandre Costa

        Então você acha que os gols em campeonatos estaduais não devem ser contados? O que dizer dos campeonatos europeus em que há revezamento entre dois, três clubes no levantamento de taças??? Na Liga Espanhola, por exemplo, desde 99-00 só dá Barcelona ou Real, apenas duas vezes deu Valência. Na Alemanha fazem 7 anos que só dá Bayern ou Borussia, no Italiano só dá Juve, Inter ou Milan desde 2000. É notório que existe um desequilíbrio, mas como é “nível nacional” ninguém leva em comparação.
        E comparar um campeonato como o nosso, de um país de dimensões continentais com outros, de dimensões estaduais (Portugal – 90 mil km² x São Paulo 248 mil km²) não seria errado também? Antes da nacionalização do futebol, o eixo RIO-SP era o futebol nacional, então nada mais justo do que os gols daquela época principalmente serem válidos nas estatísticas.
        O que estou vendo é muito mimimi dos fãs de Eusébio que desde os anos 60 tentam colocá-lo acima de Pelé

        • Julianji Matti

          Eu não disso nada disso. Os campeonatos estaduais tiveram a sua importância (hoje já não têm, a não ser para os clubes pequenos do interior que têm todo o direito de existir). O que digo é que é fato que Pelé não fez mais de mil gols oficiais. Mais de 500 foram em jogos não oficiais. O mesmo vale para Pelé ou para Túlio. Oficialmente Pelé não chegou aos 800 gols e há alguns nomes que o superam no quesito artilharia. Ademais, esses dados meramente quantitativos não devem ser usados para atribuir uma definitiva posição a um jogador no ranking dos maiores da história. Pelé jogou noutros tempos, noutro universo futebolístico. Comparar épocas é muito complicado e talvez por isso as pessoas se apegam a números. Ora, Messi tem atualmente quase 550 gols na carreira. É altamente provável que ele passe Pelé no número de gols oficiais. Quando isso acontecer, os ufanistas vão inventar outras comparações, como dizer que ele deveria ter ganho 3 copas. Vão sempre tentar atribuir a Pelé o título de majestade eterna e insuperável porque desde sempre foram educados pela mídia brasileira a venerá-lo como um símbolo nacional intocável.

      • tigre

        ”Ufanismo barato”…Pelé é considerado melhor do Mundo por:Di Estefano(Argentino,considerado jogador da história do Real Madrid e considerado por muitos o maior da história), Beckenbauer(amplamente considerado maior zagueiro da história e maior jogador da história da tetracampeã seleção alemã), Rivera(Bola de ouro em 69), Menotti(técnico da seleção argentina campeã em 78, e o primeiro a convocar Maradona para seleção) Puskas, Alex Fergunson, entre tantos e tantos outros craques internacionais.Entre os jogadores brasileiros,praticamente unanimidade, até Romário, notoriamente reconhecido por sua falta de humildade,e por ser melhor que todos, afirma que Pelé foi o melhor.Eleito atleta(atleta, não apenas jogador de futebol) do século pelo jornal L’Équipe(conceituadissimo jornal francês), pela Reuters(agência de notícias inglesa)Eleito melhor jogador da história pela UNICEF, pela France Football, pelo IFFHS(Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol), pela World Soccer e pela…FIFA.Até Diploma honorário da Universidade de Edimburgo, celebrando “contribuição significativa para causas humanitárias e ambientais, bem como suas realizações desportivas” e Cavaleiro Comandante da Ordem do Império Britânico(só não recebe o título de Sir porque não é britânico) ele recebe pelo mundo afora, entre tantos e tantos outros títulos e condecorações.Agora na cabeça do gênio, do intelectual, do iluminado, isso tudo é fruto da.. propaganda nacionalista da ditadura militar do extremamente influente no plano internacional Brasil.Eu não discuto quem tenha sido melhor da história, cada um tem sua opinião, agora, esse papo de ”resultado da propaganda nacionalista da ditadura militar.” é uma bobagem sem tamanho!!Durante vários e vários anos, Pelé foi a pessoa(entre os vivos) mais conhecida do mundo e aposentado a 40 anos ainda figura no top 5 de qualquer lista.É natural que novos ídolos apareçam, mas o problema dessa geração é que ela tem a pretensão de ser racional, intelectual, destruidora de mitos, mas acabando passando por cima da história, da razoabilidade e da lógica.

  • É um pouco difícil explicar a estrangeiros o que os campeonatos estaduais representaram no Brasil. Há incontáveis motivos para considerá-los (como os brasileiros consideraram até a década de 90) tão importantes quanto os campeonatos nacionais, sendo eles, inclusive, reconhecidos pela máxima federação local (CBF) como competições oficiais de suas afiliadas (federações regionais).

    Mas, penso, que a melhor maneira comparativa a que sempre que um estrangeiro tente colocar um campeonato regional no Brasil como algo menor é fazendo um paralelo como as copas nacionais de outros países. O Campeonato Paulista disputado e ganho tantas vezes por Pelé, por exemplo, tinha (pelo menos) 6 equipes que disputavam torneios nacionais de ponta (Corinthians, Palmeiras, São Paulo FC, Portuguesa, Ponte Preta e Guarani). Isso já faz o campeonato (além de ser oficializado pela federação local) tão forte quanto qualquer outra copa nacional mundo afora. O que faz um campeonato regional ser menor que uma Copa do Rei (Espanha), por exemplo, em que um clube pode chegar até a final enfrentando somente 1 ou 2 clubes de primeira divisão, caso a combinação de resultados permita, por exemplo? Ou mesmo a Copa da Inglaterra (FA Cup) que permite que clubes amadores e semi-amadores a disputem em fases iniciais? Isso as faz menor que outros campeonatos?

    Porque se começar a querer por equivalência de gols pelo nível de dificuldade (complemente subjetivo) de uma competição, dá pra “retirar” gols de incontáveis jogadores na história – algo injusto.

    Sobre amistosos, concordo que não há como contá-los para competições oficiais, mas sempre que se fala nos gols de Pelé, se fala sobre gols em sua carreira, da qual, óbvio, os amistosos fizeram parte. Também deve-se lembrar que o sentido de partidas e torneios amistosos hoje em dia tem uma importância completamente diferente das décadas de 50, 60 e 70. Amistosos eram levados mais a sério que hoje em dia. É possível até mesmo ver em imagens antigas a diferença de jogadores comemorando seus gols em amistosos em relação a hoje dia. O contexto desses jogos eram outros no passado. Houve diversas competições que nasceram naquela época com intenções de serem duradouras e hoje são consideradas amistosas simplesmente porque não houve continuidade. A primeira Copa do Mundo de futebol (1930), por exemplo, foi formada por selecionados convidados por questões da época (guerras, dificuldade de locomoção etc) e, nem por isso, deve ser considerada amistosa ou diminuída uma vez que é oficializada pela FIFA. Novamente, não acho que gols em amistosos devam ser considerados numa contagem oficial, seja antigamente ou hoje, independente de contexto. Mas na carreira do jogador sim, afinal, os gols foram marcados. Daí a haver disputas para saber quem marcou mais, pouco importa.

  • Jose

    Contra fatos não há argumentos e quem argumenta sem embasamento não tem credibilidade alguma. É um princípio científico básico. Sou brasileiro e me orgulho disso, mas você mostrou por A + B que suas teses estão corretas. Fim de história.

  • Andrei

    Os portugas querendo menosprezar campeonatos estaduais, principalmente o paulista, me poupem e se poupem!

  • Ariel Paulo Krivochein

    Amadeo Buschetta
    A gente lê tanta besteira, mas tanta besteira na Internet que fica sem saber como o povo fazia para passar vergonha antes da sua invenção 🙁
    Vc é o típico exemplo: o campeonato brasileiro tem mais campeões do Rio & São Paulo simplesmente pq além de terem disparado as cidades mais populosas foi lá tb q o futebol desde 1890 nasceu & se desenvolveu no país.

  • Brasilseiscinema Animações

    O campeonato paulista (regional) na epoca de Pelé era e ainda é bem mais forte que o campeonato portugues,… O campeonato portugues é bem fraco, seria muito mais fraco ainda se clubes portugueses não ficassem contratando nossos jogadores brasileiros .. Se fosse aqui no brasil o campeonato portugues seria uma quarta divisão do brasileirão com o benfica e porto (que por sinal esses não venceria facil um time mediano aqui do brasil , (como por exemplo sport recife ou atletico paranaense)…E outra coisa, quantas copas do mundo ganhou portugal? Demorou mais de 100 anos pra portugal ganhar um campeonato europeu de seleções, enquanto brasil tem 8 copas americas, 5 copa do mundo etc etc etc…. Pelé só perde pra romario numa lista de maiores artilheiros de jogos oficiais de toda historia do mundo do futebol… 1283 gols boa parte é de amistosos sim, mas mesmo assim Pelé fez mais de 700 gols oficiais…E outa coisa, o Cristiano ronaldo faz muito gols em times fraquissimos da espanha, como por exemplo alaves, getafe, almeria , albacete, bilbao, etc etc etc…Varios times da terceira divisão brasileira são bem melhores que esses da espanha e tambem de portugal como estoril, guimaraes, braga, rio ave etc etc, onde o eusebio fez a maioria dos gols seus ..E o campeonato estadual de sao paulo, onde o Pelé jogava na epoca tinha 4 times grandes que eram verdadeiras seleções, como corinthians, sao paulo, palmeiras, pois na epoca não vendiamos jogadores pro exterior como acontece hoje em dia….Hoje em dia os paises do exterior tem inveja dos jogadores brasileiros e ficam comprando eles pra enfraquecer nossos times daqui do brasil…Tudo hoje em dia é dinheiro…E outra, portugal é seleção de terceiro escalão ,mediana na historia do futebol mundia…, As seleções fortes de verdade são brasil, alemanha e italia..

  • Marcos Juvela

    Querer comparar ou diminuir a importância dos estaduais realizados no Brasil, nas décadas de 60 e 70, com campeonatos de 2º ou 3º divisão de países da Europa, é emitir um atestado de ignorância revelador. Não se compara os campeonatos do Brasil daquela época, de dimensões continentais, com países da Europa como Portugal, Espanha, etc.
    Os estados aqui, sobretudo São Paulo, tem dimensões e importância proporcionais a esses países, e naquela época, Pelé enfrentava nos estaduais, as principais equipes do Brasil, na mais aguda e competitiva competição, o campeonato paulista.
    Pelé enfrentava Rivelino, Ademir da Guia, Pedro Rocha, Leivinha, Leão, Luis Pereira, Zé Maria, Canhoteiro, Almir, Dino Sani, Gérson, Paulo Borges, entre tantos outros craques.
    Quanto mais avançarmos em direção ao passado, mais encontraremos jogos e gols considerados não oficiais, ao contrário do que acontece hoje, então eles tem de ser considerados porque tinham importãncia fundamental à epoca.