Ao longo da vida ouvimos sempre a expressão de futebol de rua mas o fotógrafo alemão Joachim Schmidt quis ir mais longe. Na sua obra fotográfica, O Campo, conhecemos os retratos dos campos de futebol que florescem no interior da paisagem urbana do Brasil.

 Os campos do Brasil

Com a preciosa ajuda do Google Maps, o autor recolheu fotos via satélite para dar corpo ao seu projeto mais futebolístico. Fotografias que parecem idênticas mas que guardam os seus segredos. As suas emoções, as suas verdades. Joachim Schmidt chamou-lhe simplesmente O Campo (The Field, na versão internacional) mas podia ter sido mais concreto.

O seu trabalho fotográfico de retrato os campos que as pequenas comunidades criam no coração das grandes urbes. Campos de areia, de relva, de cimento, campos onde as regras contam pouco. Campos quadrados, retangulares, campos que se movem como um baile de capoeira por entre o betão e campos que se expandem entre os prédios como uma criança em crescimento acelerado. Campos onde nasce, de certa forma, o futuro do futebol brasileiro.

O trabalho fotográfico de Schmidt valeu-lhe vários prémios em 2010 pela publicação original do seu trabalho que vende através da página web especializada Blurb por 30 euros.

São dezasseis fotografias, impressas em formato 40×50 cm, que representam bem essa imagem rebelde de um jogo que se popularizou pelo Mundo precisamente pela facilidade em fintar os regulamentos. Nenhum dos campos apresentados na obra poderia albergar um jogo oficial, mas o futebol não é só o jogo mais simples e popular do mundo pelas regras que o definem. É-o também pela essência que lhe permite crescer mesmo em campos que desafiam todas as convenções.

1.378 / Por