A 23 de Setembro de 1973, a Argentina tinha na sua agenda um jogo de qualificação para o Mundial contra a Bolívia na cidade de La Paz. O treinador da Argentina, Enrique Omar Sivori e o seu adjunto Miguel Ignomiriello, decidiram fazer uma estadia perlongada na Bolívia e realizar dois jogos de preparação para a equipa se habituar à diferença de altitude.

A sua missão era a de ganhar à Bolívia e dessa forma apurar-se para o Mundial de 1974 na Alemanha, algo que não tinha acontecido quatro anos antes, mas o que se passou nesse estágio, levou a que a equipa da Argentina fosse apelidada de “Equipa Fantasma”.

Uma equipa perdida nos Andes

Os jogadores escolhidos para realizar o estágio foram Rubén Glaria, Marcelo Trobbiani, Rubén Galván, Aldo Poy, Oscar Fornari, Ricardo Bochini e Mario Kempes. Na restante equipa que voou diretamente para La Paz estavam, Daniel Carnevali, Rubén Ayala eRoberto Telch.

Os escolhidos para o estágio viajaram para a cidade de Tilcara, província de Jujuy, a 2.500 metros de altitude, para uns longos 75 dias antes do jogo. Os dias passavam e o primeiro pagamento para mantimentos não chegava. Perdidos nos Andes, não havia dinheiro para as despesas mais básicas como alojamento, comida e mantimentos.

Tanto a equipa como os poucos jornalista que a acompanharam, não tinham qualquer contacto com o seu país, De acordo com alguns jogadores, a desorganização da Federação da Argentina era tanta, que se esqueceram da equipa e não planearam enviar recursos para uma estadia tão longa.

Jogar para comer e dormir

Assim, em vez de realizarem os dois jogos amigáveis de preparação agendados, a equipa foi forçada a realizar seis ou sete jogos com equipas locais, para conseguirem dinheiro suficiente para alojamento e comida. Foi num desses jogos não programados, que se estreou uma das maiores estrelas do futebol Argentino, Mário Kempes.

Eventualmente, 75 dia depois, os jogadores regressaram a La Paz e realizaram o jogo de qualificação para o Mundial diante de 30.000 espectadores. A vitória de 1-0 frente à Bolívia, graças a um golo de Oscar Fornari, abria as portas à qualificação para o Mundial de 1974 na Alemanha. No entanto ninguém imaginava o que se tinha passado nos dias anteriores.

A foto foi tirada pelo fotografo Lucio Flores, mas a ideia foi de Miguel Tapia, jornalista da “Hoy”, dois dos jornalistas que acompanharam a equipa nos Andes, que desta forma imortalizaram a “Equipa Fantasma”.

1.585 / Por